Novidades
Home / Campus Party 2011 – A saga – Parte 1 – Chegando em São Paulo

Campus Party 2011 – A saga – Parte 1 – Chegando em São Paulo

Depois de vários meses de espera, passagem comprada, algumas brigas com a empresa que eu trabalhava, finalmente chegou o dia da viagem para São Paulo, onde se realizará a Campus Party 2011 (mesmo local onde se realizaram as outras 3 edições).
Bagagem arrumada, passagens compradas, reservas do hotel confirmadas, entradas da Campus confirmadas, a @brunabagetti super ansiosa, ou seja, tudo estava ok, certo? Aparentemente a TAM não concordava.
Chegamos ao aeroporto cerca de uma hora e meia antes do horário do voo, fizemos o check in, despachamos as bagagens, no horário previsto entramos na sala de embarque (onde tivemos que passar por uma revista até necessária porem um tanto quanto invasiva, levando-se em consideração que a @brunabagetti está com o pé imobilizado e teve que tirar a bota imobilizadora para passar no detector de metais, sorte que ela já podia fazer isso.
Enquanto esperávamos na sala de embarque ao mesmo tempo tivemos duas noticias a primeira e mais importante foi um aviso de uqe o voo atrasaria, não apenas minutos como seria normal, mas cerca de 3h, ou seja, em vez de decolarmos às 23h nós decolaríamos apenas às 2h da manha.

A segunda noticia foi que notei que havia cometido um engano em maio quando comprei as passagens. Acontece que quando comprei as passagens eu tinha marcado como forma de pagamento “boleto bancário”, escolhido “Congonhas” como aeroporto de destino e finalizado a compra.
Porém resolvi pagar no cartão as passagens, e tive de refazer a compra, pois a TAM não aceitava a mudança da forma de pagamento. Refiz às pressas a compra e paguei com o cartão de credito. Tudo certo? NÂO!! E eu apenas descobriria isto na sala de embarque, a segunda passagem tinha como aeroporto de destino “Viracopos”, ou seja Campinas e não São Paulo!! Nesse momento apenas me restava rir bastante e contar para a @brunabagetti que tinha errado na compra.
Ela que já estava super ansiosa e nervosa quase me mata obviamente, e o “melhor” não tinha ainda chegado. Ao desembarcar em Campinas tivemos que pegar um ônibus para a rodoviária e de lá um ônibus para São Paulo (claro que aqui descobrimos duas coisas, a primeira é que as rodoviárias, aeroportos e shoppings são pessimamente sinalizados aqui em São Paulo, a segunda é que até as pessoas do balcão de informações por aqui não gostam de dar informações, ponto para a muleta e a imobilização de Bruna, pois ela nos facilitou muitas coisas cortando filas e passando por atalhos), onde desembarcamos no Terminal Rodoviário do Tietê.

De lá pegamos o metro e desembarcamos 14 estações adiante (Estação Conceição) onde iriamos pegar um taxi para o hotel Formule 1 Morumbi, em frente ao Shopping Morumbi. Ao sairmos da estação de metro olhei para os ônibus parados ali e vi que um deles passava na frente do shopping em questão, prontamente pegamos ele, onde tive que ir o caminho todo no espaço reservado à cadeirantes devido à nossas malas.
Acredito que este seja o ônibus que dá mais voltas que peguei em minha vida, pois certamente passamos uns 40 minutos para chegarmos ao hotel, onde finalmente conseguimos tomar banho e dormir.

Sobre Raphael Leite

Recifense, fotógrafo, ariano. Chato por definição e geek. Whovian por paixão! Allons-y!

Um comentário

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta