Novidades
Home / Editorial / Nanda….

Nanda….

Geralmente escrevemos nesse blog coisas que nos chamam atenção na net, ou em nossas vidas. Fazemos o possível para que sejam sempre cosias boas, bem feitas e diferentes. Porem hoje é impossível não escrever sobre isso.

Ontem, dia 12/04/11, nos foi tirado o convívio com uma das pessoas mais alegres que já conheci, Fernanda Mateus. Ela foi brutalmente assassinada por dois homens a quem ela e sua amiga pediram informações.
Infelizmente esses indivíduos anunciaram assalto e pela resistência dela de entregar a bolsa dela um deles deu um tiro em seu rosto, o que a matou na mesma hora. 
Pra não fugir tanto do tema deste blog prefiro falar sobre algo que nós curtimos, que foi a grande alegria dela. Nanda era uma pessoa ótima, sempre que me via tentava me fazer sorrir, até mesmo que isso significasse fazer alguma palhaçada.

Era também extremamente dramática, ou como diz outra amiga nossa, uma “novela mexicana”, pois ela tinha o dom de ter todas as emoções possíveis ao mesmo tempo na mesma hora enquanto contava algo (claro que isso as vezes nos tirava um pouco a paciência, não gosto quando as pessoas dizem que os mortos não tinham defeitos, porém alguns defeitos também fazem parte do encanto de algumas pessoas e esse é um desses casos).

Enfim, Nanda era uma daquelas pessoas que você gosta de conversar, mesmo que você não tivesse oportunidade de fazer isso sempre. Ela definitivamente era alguém que cativava as pessoas, você mesmo tendo acabado de conhece-la já estava se sentindo a vontade com ela. 

Impossível não lembrar de seu sorriso, da sua gargalhada, dela dizendo “fica assim não” , dela perguntando o que faria, ou dela reclamando do seu computador pedindo que eu o consertasse. Acredito que tudo de bom e de ruim que possamos lembrar-nos dela só aumenta essa saudade que sentimos, aumenta a dor criada por essa perda.

No fim só nos resta guardar em nossos corações todas essas lembranças, agradecer a Deus pelos momentos que tivemos com ela e pedir que a justiça seja feita, que esses indivíduos sejam presos (indivíduos, pois não tenho coragem de chama-los de pessoas) e que a vida cuide de dar a eles o que eles tem direito a receber.

Peço a Deus também que ajude a família dela, não consigo imaginar como eles estão se sentindo, eu não era tão próximo e já me sinto como se algo estivesse incompleto, não consigo dimensionar o que eles possam estar passando.

Por fim só tenho a deixar uma frase que exprime um pouco do que sentimos agora:

Cada um que passa em nossa vida passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra. Cada um que passa em nossa vida passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós. Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito, mas há os que não levam nada. Essa é a maior responsabilidade de nossa vida, e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. ” (Antoine de Saint-Exupéry ou Charles Chaplin, realmente não importa quem escreveu, mas o que a citação quer dizer)

 

Sobre Raphael Leite

Recifense, fotógrafo, ariano. Chato por definição e geek. Whovian por paixão! Allons-y!

Deixe uma resposta